Arquivo da tag: portátil

GODZILLA!

 Godzilla (1)

Opa, Eu sou o Becker e gosto de… Godzilla! Vocês sabem, o monstro japonês que sai por aí destruindo Tóquio… E às vezes os Estados Unidos também. É vi recentemente o último filme americano e por isso estou falando dele… De toda forma, por causa do filme, eu me lembrei de um jogo do qual já tinha esquecido totalmente! E qual poderia ser o resultado disso? Vamos ver agora!

Godzilla (2)

Godzilla, só que não…

Olha só que filmão! Aquele outro filme do Godzilla que de godzilla tem muita pouca coisa! Pesadelo de muitos fãs do bichão e de qualidade duvidosa, a aventura do monstro deu grana o suficiente pra gerar uma animação que até que era aceitável… E o resultado disso foi um jogo baseado no desenho!

 Godzilla (1)

Atire em tudo!

Na verdade, eu acabei conhecendo o título por ser um dos primeiros do Game Boy Color e é o que tinha de disponível na locadora. E como eu não tinha nada contra o show, porque não dar uma chance? Com vocês, Godzilla The Series!

Mas que jogo meia boca, viu? Nele, você controla o Zilla Junior – que na época se chamava Godzilla mesmo – e sai por aí socando, dando golpes coma cauda e, obviamente, cuspindo um treco radioativo ou algo assim nos muitos inimigos que aparecem na tela! O monstro é gigantesco e ocupa quase toda tela do portátil, de modo que não pode se desviar de nada que fica se jogando na cara dele a todo instante. Felizmente existe a opção de defender, e a energia do herói se recupera aos poucos quando não está detonando inimigos.

 Godzilla (1)

Lame Boss.

Tudo muito lindo até aí, mas então vêm os defeitos: Zilla Jr. é super lento, ao contrário do desenho da TV. A musica só não é uma desgraça porque praticamente não existe e só faz presença durante os chefes. Pelo menos é uma aventura curta deve ter meia dúzia de fases e olha lá.

Mas acho que muita gente deve ter comprado o game, porque teve até sequencia, Godzilla Monster Wars. Que era praticamente a mesma coisa com uma ou outra melhoria. Eu me diverti muito mais quando conheci outro game do Godzilla, desta vez japonês.

 Godzilla (3)

Quê?!

E não, não era aquele com o Godzilla SD fofinho sokoban empurrando pedra, era outro!

Godzilla (4)

Gojiiraaaaa!!!

Agora sim! Kaiju-oh Gojira rules! Mas espera aí… É quase a mesma coisa que os jogos do Zilla Jr, só que em preto e branco!

 Godzilla (5)

Sai daqui, prédio!

Não temam, pois as diferenças apesar de pequenas fazem do título um game muito melhor: Godzilla pode arrebentar os prédios que estão no caminho e de veem quando até aparece um power up dos escombros pra recuperar sua energia, e apesar de enorme o rei dos monstros pode se mover um pouquinho pela tela pra tentar desviar dos inimigos. São só cinco fases mas cada uma delas tem pelo menos cinco inimigos conhecidos do lagartão, de Batra a Jet Jaguar!

Godzilla (6)

Epic Boss!

Claro, a quantidade de chefes tem muito mais graça quando se conhece eles, mas mesmo não os conhecendo ainda são bichões muito mais amedrontadores/carismáticos que aqueles que apareceram nas aventuras norte-americanas do Zilla!

Mas hoje está acabando.  Não se divertiram lembrando dos filmes do rei dos monstros? O quê, nem sabia que existia jogos com a personagem? Mas isso tem de dúzias, dá pra escolher! De toda forma, não esqueçam aí de deixar um comentário que senão o Zilla ganha mais um filme pra aparecer comendo peixe… E afinal só assim eu saberei se falei alguma besteira, ok?

 Eu sou o Becker e comprem meu livro aqui! Godzilla aprova!

Anúncios

GANBARE GORBY!

GORBY (1)

Opa, Eu sou o Becker e gosto de… Eleição?! Aí já não garanto, mas de qualquer forma estamos às vésperas de uma e a questão não é gostar mas escolher o candidato correto e essas coisas de cidadão correto. Mas claro que no tempo livre dá pra jogar um videogame pra se divertir, né? Nada mais lógico que falarmos então sobre algum título que tenha algum presidente como protagonista para entrarmos no clima, imagino. Então vamos lá!

 GORBY (2)

Vai, Gorby!!!

Na verdade eu não me lembro de nenhum game com presidente como herói… Pelo menos não presidente norte americano, muito menos brasileiro – Game By COLOR não conta. Mas sempre temos títulos como Ganbare Gorby! Não conhece o Gorby, seria o líder político da terra do Kirby? Pois tratasse do ex-comandante da extinta União Soviética, Mikhail Gorbachev. Aquele cujas políticas como a Perestroika quebraram antigas regras comunistas e tecnicamente destruíram o bloco socialista. Também é o cara que aparece no final do Zangief no Street Figther II.

 GORBY (3)

Tudo para o povo!

Mas o que diabos o herói da nação soviética faz no game? Oras, ele invade fabricas que produzem bens de subsistência como carne, pão e remédios, e distribui os itens para o sofrido povo que fica às portas todo choroso esperando pela bondade do nosso Gorby.

A produção da fabrica é transportada toda por esteiras cheias de desvios, e o jogador deve acionar botões que desviam o caminho dos itens que devem chegar às pessoas no fim da linha. Claro, sempre tem umas podreiras no caminho como veneno e pão embolorado que não deixam o povo muito feliz.

Mas ei, tem Game Gear também para fazer a felicidade das crianças soviéticas!

 GORBY (4)

Bronca neles! Discurso, discurso!

Como política não se faz sem adversários, cada fabrica tem camaradas amis tradicionalistas que não pretendem distribuir a riqueza com o povo, e os vilões estão prontos para impedir o político boa gente. Felizmente, Gorby vem equipado com um discurso feroz e literalmente grita com seus oponentes que ficam tontos dando tempo de acionar os devidos botões das instalações. Tipo, eu espero que ele esteja gritando, também pode estar cuspindo ou até vomitando nos inimigos, aí depende da sua interpretação.

 GORBY (1)

GOOD JOB!

Para dar um pouquinho mais de diversão ainda há itens que ajudam o herói, como alto falantes, guitarras e estrelas vermelhas que deixam o ataque mais forte. Depois de entregar todos os itens o povo fica feliz da vida e aparece um baita GOOD JOB na tela cheio de estrela e brilhando tudo colorido que até parece ataque de Pokémon que deixa as crianças passando mal.

A musica até que bem divertida, as personagens são fofas e a diversão garantida, mas o jogo em si é bem simples e nem tem muito mais do que pode ser falado sobre ele.

 GORBY (5)

Que que é isso?

Ah, é verdade: Ganbare Gorby só tem no Japão. Por aqui e no resto no mundo a gente teve que aguentar um tonto de Crazy Factory ou algo assim onde só se deram o trabalho de mudar o Gorby por um piá sem graça… Pra que, se os prédios russos dos cenários continuam lá?

Então, vai dizer que não curtiu o puzzle da Sega? Tem também um tal de Gorby’s no Pipeline do Nintendinho mas que eu acho bem chato inferior.

De toda forma, por hoje acabou que amanhã é dia de votar. E tratem de desde já ficar imaginando o seu candidato vencendo a eleição e um dia ganhando um desses games maneiros onde ele vai distribuir felicidade para toda nação brasileira! E se eu falei alguma besteira deixa um comentário aí que senão a Glasnost acaba não funcionando, viram?

Eu sou o Becker comprem meu livro aqui! Gorby o faria, se não estive lutando pelo povo!

GORBY (2)

MICKEY’S ULTIMATE CHALLENGE!

mickey's ultimate challenge (2)

Opa, Eu sou o Becker e gosto de… Puzzles! Nada como um bom quebra-cabeça pra… Resfriar a cabeça. Hoje em dia tem sempre um Professor Layton disponível para se divertir, mas nem sempre foi assim. Claro, tem sempre os clássicos como Tetris e tal, mas variar um pouco é maneiro. Então hoje vamos falar de nada menos que um jogo de puzzle do Mickey Mouse! Quer saber por quê? Dá uma olhada a seguir!

 mickey's ultimate challenge (3)

Ultimate mesmo, será?

Olhem só: Não se trata só de um game qualquer do camundongo, mas é o Ultimate Challenge! Pelo menos foi isso que o título da capa me prometeu, e não acho que os fabricantes iam ganhar muita coisa me enganando, né? De qualquer maneira, realmente se trata de um game com vários quebra-cabeças e… Espera aí que tem coisa errada nessa história! Ultimate Challenge o nariz do Mickey mouse!

mickey's ultimate challenge (4) 

Um dos puzzles…

Que vários puzzles o quê! Tem meia dúzia e olha lá! Quem se importa com os 500 puzzles do Layton quando se tem o Mickey e seus seis… Nossa, isso me deixou extremamente revoltado a primeira (única) vez que aluguei o cartucho. Mas não vou mentir que, até eu descobrir que só tinha aquele pouquinho de conteúdo até que divertiu um pouco. Depois disso nunca mais quis ver o cartucho na minha frente, claro.

Como funciona o jogo? Tem o menor castelo do mundo, com somente cinco salas e cada uma delas tem um amigo super egoísta do Mickey – porque o reino está com problemas e em vez do pessoal resolver as coisas ficam pedindo pro herói fazer o trabalho deles. E basicamente é nisso que consistem os puzzles, ajudar o pessoal a cumprir suas tarefas enquanto eles ficam olhando pra você sem mover um dedo. Ah, você pode jogar com a Minie também, não que mude alguma coisa.

 mickey's ultimate challenge (5)

Faxineira? Diarista? Pra quê, chama o Mickey!

AS super variadas tarefas consistem em arrumar umas poções empurrando elas; tirar pó de uns quadros (jogo da memória); achar livros flutuantes; consertar um vazamento de água escolhendo a ferramenta correta. Cumprir uma dessas tarefas vale ganhar um item que não te serve de nada até ajudar todo mundo, quando então você deve revisitar cada um e entregar um dos itens que ganhou – o que significa que a ultima tarefe é ser mensageiro desses caras que não saem do lugar nem pra devolver as coisas que emprestaram dos vizinhos!  

Está faltando um? Claro! A cada item devolvido você ganha em troca um feijão mágico, e de posse de todos é só plantar pra surgir um pé de feijão (lógico, de tomate que não seria) gigante, que leva às nuvens onde um gigante está dormindo e o ronco dele provoca terremotos no reino. O jeito é acorda-lo resolvendo um ultimo quebra cabeça montando a figura de um despertador.

 mickey's ultimate challenge (1)

O ameaçador chefe final…

Moral da história: Todo mundo desse reino é preguiçoso e só pensa em si mesmo dependendo do pobre camundongo pra salvar a pele deles. O pior de tudo, é que tecnicamente é um jogo para criancinhas – por isso é tão curto. DE fato, apesar de eu ter odiado o game, este e semelhantes como Mickey’s Safari in Letterland ou Mickey’s Adventures in Playtown não podem ser considerados ruins porque foram feitos pra pessoas de 3 a 5 anos de idade.

Mas claro que não custava nada deixar essa informação estampada na caixa do jogo, bem grande. Crianças de mais 20 anos também curtem jogos do Mickey, afinal…

Em tempo, o jogo saiu pra tudo que é console como o Super Nintendo, Mega Drive, Game Boy e Master System. Alguns até dizem que este seria o ultimo lançamento do 8-Bit da Sega, mas não devem estar contando as joias da Tec Toy – imagino.

    mickey's ultimate challenge (2)  

Até o game boy entrou na dança!

Mas é isso pessoal! Não curtiu o jogo? Já o conhecia e também odiava? Ou vai dizer que adora, é o melhor do mundo e sou eu que não sei de nada? Aí só falando pra eu saber, né? Então não se esqueçam de comentar aí que senão semana que vem eu falo sobre Safari em Letterland, viram?

Eu sou o Becker e o compra meu livro aqui que é muito maneiro! Por hoje e só e até!

mickey's ultimate challenge (1)

MEGA MAN!

Image

Opa, Eu sou o Becker e gosto de…  Megamanl Há, achou que eu ia falar de Ano Novo e tal por causa da data né? Mas como o ano está no fim não custa nada falar um pouco do robozinho herói. Claro que tem uns trinta jogos do herói pra escolher mas hoje vamos ver um escolhido a dedo por um motivo especial que é surpresa e só lendo pra saber qual. Vamos lá então!

 Image

Tem disso, é?

Mega Man! Só que o outro jogo, não o original do nintendinho e sim a raríssima versão do Game Gear… Já conheciam? Pois saibam que muita gente nunca viu esse jogo – nem foi lançado no Japão – e a Capcom sempre que pode faz questão de esquecer-se da existência dele, que maldade!

Image

Os vilões da vez.!

Pra quem não sabe, as aventuras do herói nos portáteis é lugar comum, e teve cinco versões no Game Boy. Destas, somente o ultimo era um jogo original sendo que os anteriores eram versões “espremidas” dos jogos de console com um ou dois chefes novos e era regra cada jogo ter quatro chefes de um jogo e quatro de outro de forma que o primeiro Megaman World é a fusão dos Megaman 1 e 2 e por assim vai mais ou menos. Logicamente, tudo em preto e branco esverdeado.

Mas Game Gear tem cor, então já pode imaginar como é o jogo!

Image

Cadê o chãooooo?

Seguindo o conceito dos jogos do portátil Nintendo esse cartucho conta com inimigos do Megaman 4 e 5, oque prometia ser muito maneiro só que o jogo em si é bastante diferente dos do gameboy… São na verdade são as mesmas fases dos jogos originais, sem nenhuma remodelação nem nada. Só que os jogos originais não cabem na telinha, ia ficar tudo pequenininho difícil de ver, e o jeito foi colocar scrolling vertical – você só vê um pedaço da tela e tem um monte de coisa acima, tipo que nem no Super Mario De luxe, lembra-se disso? Só que Mario era tudo pensado estrategicamente e tal e aqui não, portanto vira e mexe você pula, a tela te acompanha, você fica vendo o céu e as estrelas e depois cai numa cama de inimigos ou espinhos mortais. Lindo! Nada que decorar as fases depois de alguns game overs não resolva.

 Image

Isso aí me dava o maior medo…

Calma que as coisa melhoram! Depois de lutar com os quatro chefes iniciais você tem que enfrentar a fortaleza do Cossack, apesar dele não aparecer nesse jogo, e enfrentar mais dois chefinhos durante o caminho. Aí, sem mais nem menos (normalmente teria um chefe nessa hora) você é transportado para o castelo do Doutor Wily para fase final! E aí que a coisa fica boa.

 Image

Cadê teu robozão, Wily?

Como todos devem saber, desde praticamente sempre a batalha contra o vilão consiste em detonar a navezona/tanque/robozão que explode e então temos que enfrentar o velhinho louco na sua navinha que quando destruída o faz cair e pedir perdão, certo? Pois então: Aqui não tem robozão nem nada, vai direto pra navinha… E quando ela explode o Dr. Wily não cai, explode junto! Não porque ele aparece na tela final do jogo, mas dá a impressão.

Ah, e vencido o vilão, a fortaleza do Cossack explode! Não devia ser a fortaleza final?

 Image

Achei que tinha morrido…

Só diversão, hein? Vale ainda dizer que várias musicas estão trocadas em comparação com os jogos originais, mas deve ser coisa que só os fãs fervorosos vão perceber. Enfim, depois dessas estranhasses está claro que não teve o dedo da Capcom na produção desse jogo. E quando ouvirem falar mal dele não prestem muita atenção, que diferente não quer dizer tecnicamente ruim – e é oque tinha na época pros donos de Game Gear, oras!

Acabou hoje, pessoal! E o ano praticamente também! Então deixem comentários aí que senão a fortaleza nada a ver com a batalha afinal explode e .. Ei, falta comentar que durante os créditos finais do jogo rola nada mais nada menos que um showzinho de fogões de artifício! Não é conveniente para a data?

Eu sou o Becker e Feliz 2014! Por hoje 2013 é só e até!

Image